terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Disque prosa

(Pedro Paulo Marra)

(Foto: divulgação)

Quero te ligar do nada.

Expressar a minha risada,

marcar um rolê na praça,

contar um monte de história,

para que no final,

você desligue,

e minha voz fique na memória.

Produção: 7 de dezembro de 2017.

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Céu moldura

(Pedro Paulo Marra)


(Foto: autoral)

O teto sem fim.

Divinamente pintado.

A cada instante um novo tom,

ora azul, ora alaranjado.

Hipnotiza.

Impressiona.

Obra prima aos apaixonados,

que apreciam com primazia,

o céu de Brasília.

Produção: 4 de dezembro de 2017.


domingo, 26 de novembro de 2017

Simplesmente você

(Pedro Paulo Marra)


(Foto: divulgação)

Me sinto um nada.

Queria ser tudo.

Mas o pouco que você tem,

já me convém.

Produção: 27 de outubro de 2017.

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Cidade livro

(Pedro Paulo Marra)

(Foto: autoral)

Cheguei.

São Paulo.

Com tempo nublado cobriu a tarde toda.

Raio solar era mato, como dizem por lá.


Mas o meu sentimento num geral,

foi de ser uma vírgula,

no meio da multidão de palavras...

Sem um ponto final.

Produção: 27 de outubro de 2017.

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Estação unitom

(Pedro Paulo Marra)


(Foto: divulgação)

H²O em vidros.

Vento frio.

Tímidos são os risos.

Chegou, a primavera.


As pistas brilham.

Sob a luz fria, que dá vida ao escuro.

Brasília vira um quadro a cada muro.

Cai chuva nas tesourinhas.

Respiram sorrisos nas minas.


É véi.

Bom é ter amigos.

Se sentir um ipê nos pilotis.

"Quero ficar de boa", o outro diz.

Há beleza em Brasília.


De estação em estação,

os trilhos chiam,

o aconchego vem,

encostados na janela gelada.

Mas é bom.


O tempo de um só tom.

Brasílico.

Produção: 27 de outubro de 2017.



quinta-feira, 2 de novembro de 2017

Conjugação poética

(Pedro Paulo Marra)

(Foto: divulgação)

Eu.

Tu.

Ele.

Ela.

Nós.

Vós.

Eles.

Elas.

Conjugam poesias.

Não fogem à regra.

Produção: 8 de setembro de 2017.

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Amor incolor

(Pedro Paulo Marra)

(Foto: divulgação)

Amor.

Eu te amo.

Eu lhe amo.

Eu amo você!


Mas tu me amas?

Você jura que me ama?

Ou sou somente um bem querer?

Que te alimenta de amor na cama.


De verdade.

Para você.

Eu sou o amor?

Porque não pareço ter cor.

Produção: 4 de setembro de 2017.