terça-feira, 17 de abril de 2018

Como amar? (parte 2)

(Pedro Marra)

(Foto: divulgação)

Amor, eu te amo.

Amor, eu te amo.

E é muito bom poder sentir isso,

com o olhar longe de ser omisso.


Meus olhos caem aos prantos,

não porque eu curto sua "vibe",

gosto de você ou...

ficamos direto.

Mas porque toda vez que nos olhamos,

só sinto a pilha de dizer a melhor das gírias.

"Eu te amo".

Produção: 1º de abril de 2018.

domingo, 15 de abril de 2018

Como amar? (parte 1)

(Pedro Marra)

(Foto: divulgação)

Amor, eu te amo.

Amor, eu te amo.

É muito bom poder dizer isso.

Porque eu te amo,

não só lá dentro,

como também lá fora,

na sua forma de andar,

de colher meus sorrisos,

pra nunca ir embora.


Amor, eu te amo.

Desde o seu gosto pelas cores,

que me cativam,

à sensualidade dos seus sapatos,

que me instigam.


O seu rosto molhado após o banho,

é a resposta para o meu calor.


Momentos assim,

olho para dentro de você.

Sim!

Consigo olhar dentro de você.

Sabe por quê?

Porque eu sei dizer,

e sentir,

o tal do...

"Eu te amo".


Produção: 1º de abril de 2018.


terça-feira, 10 de abril de 2018

Panorama

(Paulo Marra e Pedro Marra)

(Foto: divulgação/Tumblr)

Dela eu te vejo,

mas ouço também sussurros,

com lamúrias profundas.

Desta sacada,

por onde passa o mundo.


O barulho urbano,

pela pista molhada,

faz da minha sacada,

de aroma florido,

uma eterna morada.


Produção: 12 de março de 2018.

sexta-feira, 30 de março de 2018

Em outras palavras

(Pedro Paulo Marra)

(Foto: divulgação)

Parece sacanagem,

 mas até na pura "putiagem",

minha cama pulsa por você,

fazendo do amor uma palavra sublime de se dizer.


Em outras palavras,

isso nos aproxima,

faz do beijo uma sina.


E o amasso que eu deixo na sua mente,

é quente,

é presente,

está vivo no perfume da sua pele.


Amor.

Isso virou uma febre,

que não quero me curar.


Me deixe em coma,

todo dia na cama,

dizendo que me ama.


E depois de três horas da nossa sinfonia,

eu tinha o que eu mais queria,

cada pedaço da sua mente safada.


Em outras palavras,

essa foi a melhor gozada.

Produção: 22 de março de 2018.

quinta-feira, 22 de março de 2018

de BoAR

(Pedro Paulo Marra)

(Foto: divulgação)

Entrei no bar.

Me sentei na cadeira do canto.

Fiquei por 6 horas bebendo e reclamando.

Pobre fígado!

Que naquela altura,

era a minha única companhia.

A vista borbulhante,

pedia "mais uma".


Até que uma tal moça,

chamada Ressaca,

de um hálito da desgraça!

Sussurrou na esquina do meu ouvido.


Relaxa!

Amanhã é sábado.

Produção: 16 de março de 2018.

quarta-feira, 14 de março de 2018

O que fazer?

(Pedro Paulo Marra)

(Foto: divulgação)

O que eu posso fazer?

O que eu posso fazer?

Me diga!

O que eu posso fazer?


Se você não me der a mão,

e caminhar por caminhar,

numa orla de verão.


O que eu posso fazer?

Se você não quiser se sentar no mesmo sofá que eu,

e rir do meu bocejo.

Se você não ficar com raiva,

quando caçoo das suas manias.


O que eu posso fazer?

Se você não quiser cheirar a mesma fumaça de café que eu.

Se você não olhar pro céu como eu olho.

Se a sua vida é sua e não minha.


O que eu posso fazer?

Se você não gosta de chocolate branco.

Se você mora longe de mim.

Se somos apenas colegas de faculdade.


O que eu posso fazer?

Se você me olha mais pelas costas do que pela frente.

O que eu realmente preciso fazer?


Por nós

Produção: 11 de março de 2018.

domingo, 11 de março de 2018

Infantilmente feliz

(Pedro Paulo Marra)

(Foto: divulgação)

Sem petulância!

Não me venha com "adultices".

Dizendo que sou uma criança.

Pra mim,

não é tolice!

A minha infância.

Produção: 2 de março de 2018.