terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Sangrar é amar?

(Pedro Paulo Marra)

(Foto: divulgação)

O amor é a cor mais bonita.
Tem corpo e alma.
E ainda o sangue.
Que lhe pinta.
Não somente chora,
também sangra.

Produção: 21 de fevereiro de 2017.

sábado, 25 de fevereiro de 2017

Amor tecno é lógico

(Pedro Paulo Marra)

(Foto: divulgação)

Dei um Ctrl + C + Ctrl + V no seu corpo.
A alma, salvei no meu HD logo!
Te dei um pendrive de presente,
pra arquivar o nosso amor,
de todos, o mais reluzente.

Produção: 17 de fevereiro de 2017.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Poenua

(Pedro Paulo Marra)

(Foto: divulgação)

Meus versos sensualizam pela rua.
E a cada olhar ela insinua.
- Quem?
A poesia...
Em si, nua.

Produção: 17 de fevereiro de 2017.

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Fábrica de versos

(Pedro Paulo Marra)

(Foto: divulgação)

A casa.
É de poesia.
É de tijolo sim.
Com versos de marfim.
Mas também tem rachaduras.
Tão velhas como a sua literatura.

O cordéu seca na varanda.
Enquanto a inspiração acorda branda.
A produção é mansa.
Mas a qualidade, é um ternura.

Das raízes, é porreta.
De lá, sai uma primazia.
Que é uma beleza!
Chamada poesia.

Produção: 14 de fevereiro de 2017.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Nosso instante

(Pedro Paulo Marra)

(Foto: divulgação)

Quero olhar mais uma vez pra você.
Porque desta vez...
Não há mais tempo a perder.
Aproveitemos.
Pois o amor não se desfez.
Muito menos, os momentos.

Produção: 14 de fevereiro de 2017.

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Sí-la-bas tam-bém amam

(Pedro Paulo Marra)

(Foto: divulgação)

Eu te a-do-ro.
Eu te de-se-jo.
Eu te res-pi-ro.
Eu te que-ro.
Eu até te bei-jo.
Mas eu de fa-to...
Te amo.

Viu co-mo é ra-ra, qua-se es-cas-sa.
Nem as sí-la-bas, o nos-so amor se-pa-ra.


Produção: 5 de fevereiro de 2017.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Cadáver vivo, de borboletas

(Pedro Paulo Marra)

(Foto: divulgação)

Já basta!
Estou farta de mim mesma.
Quero ser vista por quem me mereça.
Quero ser mais cor, mais vida, mais natureza.

Puxo o gatilho.
Com a maior destreza.
Preto e branco, nem pilho.
Quero sim.
Vou sim.
Me julgar necessária.
Bordar o céu com a minha arte.
Por meio de borboletas.
E me tornar uma obra imaginária.

Produção: 5 de fevereiro de 2017.

domingo, 5 de fevereiro de 2017

Rumo certo

(Pedro Paulo Marra)

(Foto: divulgação)

Eu quis que o céu fosse azul.
Nem ciano, nem de mar.
Pulei as estrofes da sua vida.
Até minha inspiração te encontrar.

Produção: 4 de fevereiro de 2017.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Gíria do nosso quadrado

(Pedro Paulo Marra)

(Foto: divulgação)

Aí vei, pode conversar.
Embaixo do bloco ou num bar.
Com amigos, desconhecidos ou família.
Se pá, nois cavuca mais uma gíria.
Eu pilho!
Tu pilha?

Produção: 23 de janeiro de 2017.